2 de jan de 2015

O amor verdadeiro


Durante anos procurei saber o que era o amor de verdade, foi uma busca incessante, pesquisei com diversas pessoas sobre, tentei o amor por diversas vezes, mas no final não era ele.

Com o nascimento do meu filho pude sentir na pele o que é o amor, fui respondido pela forma mais pura de amar.

Durante anos achei que o amor era algo extraordinário, que fizesse o coração pulsar, acelerar, paralisar e me fazer perder o ar. Eu não estava errado, o amor é isso mesmo e muito mais.

O amor de verdade não é relacionado a beleza, a amasso ou atração sexual. O Amor está relacionado ao sentimento, ao afeto e ao carinho que sentimos por uma pessoa, ao querer bem a ela, digo que o amor não tem limite nem fim.

O amor não está relacionado a fissura por uma pessoa, ele gera apenas coisas boas, e só trás coisas boas, não acredito que quem ama faça algo mau por esse amor.

Pude sentir o amor com o nascimento do meu filho, confesso que meu coração se encheu de alegria ao ver aquele ser tão pequenino, mas não foi uma alegria qualquer, foi algo que nunca havia sentido antes, foi algo que procurei durante tempos e encontrei.

Isso não significa que o amor entre homem e mulher não exista, pelo contrário, com o nascimento do bebê o amor se transpôs para minha família, fiquei muito mais sensível para as crianças e mais consciente  para meus deveres como pai, marido e cidadão.

Bom a sensação de ser pai é uma sensação única, de tudo que passei na minha vida, de todas as vitórias e conquistas essa sem dúvida nenhuma foi a melhor, foi a mais emocionante e a mais mágica. Indico para todos!


A procura pelo amor acabou, mas acredito que o amor é como uma flor, ela tem que ser regada para que possa sobreviver, crescer e florescer.

Autor: José Agenor Sapata

Nenhum comentário:

Postar um comentário