14 de jul de 2015

Relato de uma mãe


"Para que assim o mundo entenda o valor e o respeito à vida!"


Gerei em meu ventre seco sem uma gota de liquido amniótico, desde as 15 semanas até as 37 semanas o meu milagre, uma gestação cheia de complicações e com o diagnostico de ARB - Ageniase Renal Bilateral, ou seja, sem rins (incompatível com a Vida).

Foram meses escutando tudo que uma mãe não queria ouvir, mas em nenhum momento deixei minha fé esmorecer, foi aconselhado o aborto, não aceitei, em cada consulta, em cada ultrassom uma noticia pior, nunca foi possível ver o sexo do bebê e a probabilidade má formações era o meu pesadelo. 

Procurei entender o diagnóstico para me preparar, mas foi pior, foi aí então que decidi esperar o momento certo e confiar em Deus. Ao longo dos meses aprendi a dar valor a cada segundo vivido, os vivi intensamente, conversava, cantava, e pedia muito a Deus para conseguir chegar até o fim, e ao menos poder conhecer minha filha, sim eu chamava o bebê desde o primeiro positivo de "Valenthyna", e foi assim que minha valente aguentou firme, foi tão guerreira quanto eu, conseguimos chegar até o final e Deus honrou minha fé... Me lembro a médica da UTI NEO antes do meu parto me dizendo: 

- Mãezinha você já está ciente, seu bebê irá nascer com má formações e você irá querer ver ele mesmo assim? 

A resposta: - Doutora minha filha se chama #VALENTHYNA ela é perfeita, pode me trazer ela sim!

E assim foi Valenthyna Francis Silva, nome escolhido pela mamãe e escrito com grande amor pelo Vovô !!! ( Nossa eterna #Valente) Nascimento em São Caetano do Sul , ás 17:20, no Hospital Infantil Márcia Braido Peso: 1.620g Altura: ? Parto: Cesária.

Cumprimos nossa missão, eu pude a ver em vida e a tocar, tirar fotos e me despedir, logo que cheguei ao quarto após a recuperação da anestesia veio a notícia que minha Valente virou um anjo as 21:53 do mesmo dia... 

E quem disse que eu não a vi outra vez, sim vi!!! A peguei no colo, contemplei cada detalhe do seu corpo, era linda, perfeitinha, com a pele macia. E o sentimento de gratidão é por Deus ter me dado oportunidade e privilégio de ter ser "Mãe de Anjo", do meu anjo. 

Não posso ser egoísta e querer ela só pra mim enquanto Deus a quis para enfeitar seu jardim.

É a vontade dele que é boa, agradável e perfeita, não a minha! A dor de ter me despedido não é maior que a alegria de ter te conhecido. Tudo, tudo valeu a pena! Os médicos disseram tudo de ruim que eu enfrentaria. Eu gostaria de dizer a cada um deles tudo de bom que você me proporcionou. Com você aprendi a viver um dia de cada vez e isso é o que tem me sustentado. Minha eterna Valenthyna.

Dai Francis