23 de set de 2014

De volta ao passado!


De volta ao passado, esse é título interessantíssimo para esse texto que aqui vou escrever.

O quanto belo é você poder se reencontrar com os momentos mais felizes da sua vida, rever um local, rever as pessoas que ali habitam, sentir no peito a emoção do reencontro, ou até mais, voltar ao “Caminho do Renascer.”

Sem palavras para expressar tamanha felicidade, uma emoção comovente, voltar ao lugar que vivi minha infância, juntamente com as pessoas que amo incondicionalmente.

Voltar a Coqueiral foi uma viagem no tempo, ver e passar por cada uma daquelas ruas, ruas essas repletas de alegria, de simplicidade, de cheiro do mato e esplendor.

Reencontrei a casa que nos hospedou por tanto tempo, confesso que foi um pouco triste ver a situação de abandono em que se encontra, confesso que se a situação permitisse não sairia mais dali.

E quão belo foi poder reencontrar o visinho e ele te pedir para entrar para tomar um café, encontrei na casa dele a mesma geladeira, e ele me confessou que a mesma tem 40 anos. Pasmo fiquei, como pode uma geladeira com 40 anos em pleno uso? Bom, aqui nessa cidade pode tudo.

Triste fiquei ao saber que a maioria dos meus tios-avôs tinham falecidos, mas me alegrei ao poder rever meus primos.

Quase indo embora veio-me a cabeça o reencontro do Caminho do Renascer, aquela família humilde, aquelas crianças as quais eu passei minha infância brincando junto será que estariam lá? Bom, não custava nada tentar, e eu e meu irmão batemos numa porta de madeira, casinha humilde, mas que quando abriu vi os olhos de uma mãe se arregalarem, aí eu perguntei ao lado do meu irmão: - Sabe quem somos nós? E ela respondeu: - Claro, são o Athyla e o Pitico.

Repleto de emoção ficamos, foram os primeiros e únicos a nos reconhecerem após 14 anos.  Daí em diante foi só alegria, poder rever nossos amigos de infância, pode conversar, saber como está a vida de cada um foi eternamente gratificante.

Acredito que nossas raízes são eternizadas nos locais em que fomos mais felizes em nossas vidas. E a minha está eternizada aí em Coqueiral.


Quão bom seria podermos sempre rever aquilo que nos alegra, podermos relembrar os momentos de alegria, pois muitas vezes o que nos sobra são exatamente isso, apenas lembranças eternizadas em nossos pensamentos.

Autor: José Agenor Sapata

Nenhum comentário:

Postar um comentário