25 de nov de 2014

O Doador de memórias - Lois Lowry


Imaginem vocês viverem em um mundo onde não haja sentimento entre as pessoas, onde não haja cor, nem música, nem memórias, imaginou? Essa é a proposta do livro e filme O Doador de memórias de Lois Lowry.

Achei super interessante a ideia de viver em um mundo sem dor, sem ódio, sem rancor, sem tristeza e coisas ruins, porém como tudo na vida tem o lado bom e o ruim isso significaria viver sem nenhum sentimento, e quando digo nenhum exclui os sentimentos bons, até que ponto valeria a pena não ter o mal abrindo mão do que é bom? Acredito que seriamos como se fossemos robôs, sem um propósito real para nossas vidas.

No filme apenas o doador tem as lembranças do passado, as quais são repletas de sentimentos, essa pessoa tem a missão de passar para seu sucessor todas as lembranças de um passado repleto de sentimentos, na primeira parte ele passa apenas as lembranças boas, as quais fazem ele poder ver as cores, ouvir as músicas, sentir o amor e a felicidade e se indagar porque não há sentimentos na comunidade onde vive. O problema começa quando as lembranças dos sentimentos ruins começam a aparecer, a guerra entre os homens, pais abandonando crianças, sentimentos como dor, ódio, rancor e discórdia. Coisas que acontecem no dia-a-dia de todos nós, isso choca o recebedor e ele entra em um dilema grande entre libertar seu povo da mesmice e monotonia ou continuar a não ter sofrimento.

E aí qual sua opinião sobre isso? Viver na paz mas com uma vida sem graça ou viver uma vida com sentimentos bons e ruins? Se fosse para você escolher o que faria?


Indico muito esse livro e filme, quem puder acredito que terá um bom motivo para reflexão.

Imagem Retirada do Google Imagens

Um comentário:

  1. Tem pouco tempo que assisti o filme, sob recomendação da minha irmã, não esperava gostas, mas me apaixonei. O filme nos permite refletir justamente sobre o ideal de "mundo perfeito". Não seria nosso mundo predestinado a ser belo dentro da imperfeição? Eu prefiro viver com as memorias e os sofrimentos se isso for necessário para viver também as preciosidades do mundo.

    Te indiquei numa tag, vai la ^^

    http://cabecasdeabobora.blogspot.com.br/2015/01/tag-liebister-award.html

    ResponderExcluir