16 de ago de 2013

Autismo



No domingo dia 04/08/2013 vi mais uma matéria interessantíssima que passou no fantástico sobre o Autismo, ela me chamou muito atenção, o que é essa doença? Será que realmente é uma doença? Como lidar?

Acredito que as pessoas deveriam procurar saber sobre, quebrar paradigmas e preconceitos que ainda existem contra essa pessoas diferentes, pessoas essas que sofrem de um transtorno desconhecido, que pode ser causado pela genética mas que ainda não foi decifrado.

Hoje os números aumentam, para cada 100 crianças que nascem 1 tem o transtorno, então quem sabe se a próxima criança não pode ser a minha ou a sua?

Como tratar essas crianças que necessitam de cuidados tão especiais, de carinho dobrado, de respeito e de amor?

São muitas as perguntas que envolvem o assunto, ma acho que o respeito, a consideração e o amor são os quesitos mais importantes para fazer com que uma pessoa com autismo possa viver bem no seu mundo paralelo. Dedicação dos pais e o carinho da sociedade impulsionam elas para frente, dão esperança e vontade de viver.

Nessa matéria o especialista explica que o autista é metódico. “O mundo ideal é aquele em que as coisas não se modificam. Eu acordo na mesma hora, visto a mesma roupa, tomo café do mesmo jeito, no mesmo prato, com a mesma xícara. Qualquer variação disso traz um extremo desconforto”

Imagino que não seja fácil a convivência com um autista, mas acredito que nada nesse mundo é por acaso, então se tiver que passar é porque teria que passar, é porque essa pessoa precisa de ajuda, precisa de você, ela depende de você, então de sempre o seu melhor por essa pessoa, e ai sim você será o maior super herói de todos os tempos.

Como não sou um especialista no assunto não irei me estender muito, mas essa é uma série que irá passar no fantástico, segue abaixo o link:


Gostaria de terminar o artigo com a frase de um dos entrevistados da matéria, é bem simples e singela, mas mostra o exemplo que podemos dar para essas pessoas e o quanto podemos ser importante.

“Meu pai é um bom pai,  é meu exemplo, ele diz para mim vá correr, eu corri, ele correu eu corro, se ele faz um gesto bom eu tento fazer aquele gesto,  eu  tento imitar aquele gesto bom para os outros, meu pai é o meu exemplo.”

11 comentários:

  1. Hum...não gosto de assisti Fantástico, mas acredito que essa matéria vale a pena. Vou conferir no link que deixou.
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paloma, fantástico ainda é um dos poucos programas que assisto, tem algumas coisas boas lá..

      Excluir
  2. Assisti esta matéria no fantástico e fiquei muito impressionado com a dificuldade que deve ser lidar com um autista.
    Sempre tive comigo que Deus só dá o peso que conseguimos suportar, e que o carinho com eles deve ser enorme.

    Estou seguindo seu blog para acompanhar as atualizações e sempre que puder fazer uma visita.
    Abraços

    http://reaprendendoaartedaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Fernando obrigado pelo comentário dei uma passada la no seu blog, seguindo também.

      Valeu

      Excluir
  3. Esse assunto é desconhecido por muitos ,foi muito bom você ter abordado ,e o modo como tratou .Essas pessoas precisam de amor e carinho redobrado ,e realmente, se doar 24 horas não deve ser nada fácil ,quem o faz pode ser considerado herói e mais do que isso,exemplo a ser seguido.
    Gostei do seu blog ,iriei seguir .
    Beijos e bom final de semana !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Laila, que bom que gostou do blog, espero te ver sempre por aqui.

      Excluir
  4. Vc abordou um tema bem interessante. Realmente, nesses dias eu tbm andei vendo várias postagem sobre autismo, o assunto está em alta. É algo bem complexo essa doença, se é q seja uma doença.

    Parabens pela postagem ;)

    jadsonlribeiro.blogspot.com Senhor das Noites

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadão Jadson, o tema é bem importante.

      Excluir
  5. Tudo parte do respeito. O respeito a diferença, até porque somos todos diferentes que tentam se enquadrar nos padrões dessa sociedade. Padrçoes por vezes cruéis.
    O preconceito parte muito da falta de conhecimento. Vc está certíssimo!

    Adorei seu post e o blog. Estou seguindo.

    Beijos

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente, e a palavra chave é respeito. valeu pela visita moça.

      Excluir
  6. Também assisti a essa reportagem, José.
    Foi excelente. O autismo tem ganhado mais visibilidade e isso é muito importante para informar a população sobre o assunto.
    Parabéns pelo texto.

    Abraço!

    ResponderExcluir