9 de jul de 2013

Ainda há Esperança - Transformando lixo em Música


Ontem assisti uma matéria do fantástico (globo) que renovou meus votos de esperança, da mesma forma que procuro criticar acho que também temos que parabenizar por algumas matérias bem feitas.

Uma orquestra feita com instrumentos catados no lixo, um legar feio, miserável, onde tudo cheira mal, a poluição visual assusta, esse é o cenário onde se passa a matéria.

Um lugar onde as famílias (5.000 ao todo) vivem de catar lixo, e metade da população que é de 25.000 pessoas são crianças. Onde haveria esperança em um lugar desses? Se tivesse visto apenas o lugar, sem a matéria diria que em lugar nenhum, mas ainda bem que existem pessoas boas nesse mundo e uma delas chama-se Fávio Chavez, esse homem levou esperança até as crianças através da música, transformando um tonel de óleo em contrabaixo, uma lata de tinta e uma assadeira de pão em violino, caixas de doce em violão. Isso tudo através da simplicidade e do amor ao próximo, transformou restos em instrumentos musicais e em esperança.

Esse anjo para mim é mais um vendedor de sonhos, um anjo que conseguiu ver esperança em um lugar em que só se vê tristeza. Quando ele foi perguntado o que ganhava com isso essa foi à resposta:

“O privilégio de mudar vidas. Às vezes, me sinto empunhando uma varinha mágica que realiza sonhos."

Maria Cardozo de 16 anos diz uma das frases que mais me impressionou:

 "Se você tira música do lixo, você sabe que tudo é possível. Podemos realizar nossos sonhos, seguir adiante".

Quanta verdade não pode ter nessa frase?

Muitas pessoas reclamam de suas vidas, por não poderem comprar um carro novo, por não poderem trocar seus casacos de pele ou por não poder comprar uma calça de R$ 300,00, mas não valorizam o que tem, e essas pessoas que pouco tem sim, essas valorizam um instrumento musical feito de lata, de tambor azeite de garfos e outras coisas achadas no lixo.

Será que não somos fúteis de mais?

Temos que aprender a dar valor nas poucas coisas que temos, pois o pouco quando estamos felizes se torna muito, às vezes quem tem muito não tem uma simples felicidade.

Para quem quiser ver segue o link da matéria na integra, vejam realmente é muito lindo.


4 comentários:

  1. Também vi e gostei muito. Ainda resta uma esperança...

    ResponderExcluir
  2. Oi Raquel, realmente nos resta a esperança e a fé.

    ResponderExcluir
  3. Seguindo teu Blog e curti a fanpage! Um abraço!
    Adorei as postagens! Muito interessante!
    http://www.luceliamuniz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Que coisa linda, Agenor! É incrível como a arte realmente consegue transformar as coisas e as pessoas. Grande atitude do Fávio. ;)

    Beijos,

    Isie Fernandes - de Dai para Isie

    ResponderExcluir